24 de março de 2008

O Que Motiva Você na Vida?


Alguns anos atrás, quando lecionava a disciplina de Psicologia Organizacional em uma Faculdade da grande São Paulo, passei a meus alunos uma atividade para desenvolverem em casa e entregar na aula seguinte. A tarefa era simples. Deveriam redigir um texto respondendo a seguinte pergunta: O que motiva você na vida?

A ideia era que eles descrevessem suas motivações, suas necessidades, desejos, anseios, vontades etc. Todos entregaram respondendo desta forma. Uns comentando sobre a conclusão do curso, um emprego melhor, sucesso profissional, construção de uma família, conquistar a casa própria, viagem e tudo mais.

Porém, uma aluna me surpreendeu. Ela apontou em seu texto apenas duas coisas, disse ela: “Deus e meu namorado”. Ao longo do texto ela explicava estas duas únicas motivações que tinha na vida.

Ao ler aquilo fiquei chocado. Como pode uma pessoa de vinte e poucos anos restringir toda sua vida a apenas dois fatores. É certo que a fé não se discute, mas sua outra motivação ser o namorado... isso me preocupou e fui falar com ela.

Na conversa que tivemos, ela confessou que somente iniciou o curso porque o namorado também o fazia, e como ele viajava muito acabava perdendo algumas aulas. Desta forma ela poderia repassar a ele o que perdesse da matéria. Detalhe: ambos estavam matriculados na mesma sala.

Bem, este fato me fez refletir ainda mais sobre os motivos que fazem com que as pessoas alcancem uma vida mais rica e plena. É comprovado que aqueles que conseguem ter vários motivos na vida conseguem ser mais felizes. Pois há um fator simples, porém essencial para a conquista da felicidade: se algum dos objetivos não acontecer ou não for do jeito sonhado há outros para se amparar. Ou seja, quanto mais motivos, mais possibilidades de viver feliz.

Por isso, é fundamental termos muitos motivos para viver. Sejam eles pessoais, profissionais, sociais, financeiros, lúdicos, de lazer, etc. Quanto mais amplio minhas opções de realização, maiores são as chances delas ocorrerem.

Quando direciono meus objetivos a poucos motivos, acabo criando expectativas enormes sobre eles. Caso aconteçam como esperado a frustração é muito maior. Como agir quando o único sonho que se tem na vida, por alguma razão, não é realizado? A decepção e sentimento de derrota podem ser aniquilantes.

Por isso, faça sua lista. Elabore agora mesmo uma lista de motivos que fazem você se sentir vivo. O que motiva você na vida? Quais são seus sonhos? Quais são seus desejos? Quais são suas necessidades e vontades? Escreva, mesmo que neste momento pareçam inalcançáveis. Mesmo que você não consiga enxergar que possa realizá-los agora. Escreva mesmo assim.

Só o fato de ter isso em mente já um grande progresso. O primeiro passo para a realização de um objetivo é ter esta meta em mente. Já que é para sonhar, sonhe alto. Pense grande. Pense longe. Pense em motivos de longo prazo e mais estruturados, como uma viagem a algum país, por exemplo. Mas também pense em sonhos menores, de curto prazo, de rápida resolução. Estes servem como estímulos constantes para que os mais complexos sejam atingidos. Precisamos de pequenos e grandes motivos para viver com mais felicidade. Uns complementam os outros.

Agora, comemore sempre. Cada objetivo alcançado é motivo de celebração. Se não tiver ninguém para celebrar com você, comemore sozinho mesmo. Afinal, lembre-se que você deve ser sua melhor companhia.

Como última dica, recomendo rever sua lista de motivos constantemente. Isso serve para analisar o progresso até o momento e também para saber o quanto falta para que determinados objetivos sejam alcançados. É como um medidor de conquistas e realizações. Com isso, você pode se sentir estimulado a buscar novos objetivos e superar as possíveis frustrações do que não conseguiu realizar.

A felicidade está sempre dentro de nós. Basta procurarmos com cuidado e atenção que encontraremos diversos objetivos, motivos, metas, desejos e necessidades pelos quais valem a pena viver. Sucesso!



Rogerio Martins é Psicólogo, Professor, Palestrante e Escritor. Siga @rogermar no Twitter e venha curtir a página do Facebook.
Cadastre-se no Boletim