26 de junho de 2008

Sobre palestras e palestrantes


Atualmente há um mercado onde a palavra “crise” está bastante distante. O mercado de palestras, sejam elas motivacionais ou não, está em franco crescimento. Nos últimos dez anos vê-se cada vez mais seminários nacionais e internacionais, congressos preparados especialmente para grupos profissionais como: recursos humanos, vendas, marketing, logística, qualidade etc.

O fato é que esta vertente ascendente esconde algumas armadilhas, tanto para o público e os contratantes, quanto para os profissionais que atuam neste segmento. Como todo “boom” que se preze, surgem pessoas e situações que devem ser cuidadosamente analisadas.

Muitos profissionais de empresas acreditam que, simplesmente, realizar uma palestra motivacional fará com que os rumores e boatos sejam encerrados. Outros creem que o fato de contratar uma palestra irá preparar todo seu pessoal para os novos desafios dos próximos anos. E assim vai.

Nessa onda de crescimento surgem os oportunistas. Aqueles que sem preparo e/ou experiência vêem neste mercado uma grande oportunidade crescimento e de fazer dinheiro. Fama e riqueza. Que combinação perfeita. Geralmente para alguém que nunca vivenciou a metade do que expõe. Para cobrir isso, suas palestras são recheadas de efeitos visuais ou frases de efeito e só.

Muitas vezes, o público sai comentando sobre o que acabou de ver e ouvir: fantástico; brilhante; emocionante. Mas, e depois? O que realmente o palestrante disse que vai servir de reflexão ou mudança daqui há dois ou três dias? Que lições verdadeiras serão levadas para casa e para o trabalho. Como elas serão aplicadas no dia-a-dia?

Contratar uma palestra ou palestrante é algo muito mais importante do que se tem praticado ultimamente. Por isso, seguem três dicas importantes para fazer do evento um grande sucesso:

1. Defina exatamente seu objetivo para a palestra. É comum ouvir pessoas dizendo: “a palestra é pra motivar o pessoal, pois tá chegando o fim de ano e precisamos ter todos motivados pra vender mais”. Certamente, pessoas motivadas vendem mais. A questão é que de nada adianta realizar uma palestra de sensibilização para motivação e no dia-a-dia as pessoas não puderem praticar o que viram e ouviram. É preciso ter coerência entre o evento e a realidade da empresa. Procure fazer um evento onde as pessoas tenham conteúdo prático, informação útil, mas também reflexão sobre postura e comportamento.

2. Organize o evento de forma planejada. Lembro de uma situação que ocorreu comigo, quando uma empresa contratou uma palestra para aproximadamente 150 pessoas. Vários detalhes foram minuciosamente conversados, inclusive os tópicos a serem abordados. No dia do evento, que era realizado em outra cidade, houve um pequeno atraso e fui avisado. Minha palestra estava programada para ter uma hora de duração. Passou mais algum tempo e novamente vieram me avisar que a programação estava atrasada e minha palestra teria que ser encurtada em quinze minutos. Rapidamente fiz alguns ajustes e continuei aguardando. Após algumas horas de atraso, chegou minha vez. Fui informado que teria apenas trinta minutos para apresentar a palestra que havia sido preparada para uma hora. Consegui apresentar, fazendo alguns cortes possíveis e simplificando algumas informações. No final senti que o público ficou com aquela sensação de quero mais. O planejamento adequado do evento é fundamental para que não haja atropelos e quebra de interesse dos participantes. Evite informações demais. As pessoas também querem circular, conversar com os outros, ver pessoas, descansar.

3. Escolha o melhor palestrante para o seu evento. Há situações onde um renomado palestrante não se sai muito bem na palestra, mas não por incompetência, e sim por não ser o melhor profissional para falar para aquele público ou evento. Nome não é garantia de sucesso. Sempre que possível conheça pessoalmente, mesmo que seja por telefone. Pesquise seu currículo. Saiba onde já realizou apresentações. Ouça opiniões a respeito. Veja se tem vídeos, livros, formação adequada, experiência no que transmite. Enfim, faça uma varredura para escolher “o seu palestrante”. Dias atrás vi um vídeo no YouTube que me preocupou. Era um rapaz, bastante jovem, falando sobre motivação. No vídeo ele imitava outro palestrante, mas não obstante o fato de imitar, ele se portava feito um fanfarrão. Subia na mesa, gesticulava de modo exagerado, falava de modo infantil, e outras coisas que não vale a pena mencionar. Pensei: quem é este garoto? Qual sua experiência para falar deste tema tão complexo e delicado? Quais suas credenciais? Não o conheço, mas a impressão que ficou é que a maioria dos palestrantes que lidam com motivação são assim. Absolutamente não é verdade!


"Tomando alguns cuidados básicos qualquer evento poderá ser um sucesso"
Um check list básico antes de contratar uma palestra:
  • Ter claro o objetivo do evento;
  • Estruturar um bom planejamento;
  • Escolher um local e equipamentos apropriados para o público e palestrante;
  • Estar atento a logística (recepção, organização, alimentação, locomoção, material a ser distribuído);
  • Analisar qual é o melhor palestrante para o seu evento (currículo, experiência, depoimentos, adequação ao tema, fazer uma prévia).

Rogerio Martins é Psicólogo, Palestrante, Escritor e Professor Universitário e atua no mercado de palestras desde o ano 2.000.

Conheça um pouco mais do meu trabalho como palestrante e instrutor de treinamentos
1. Palestra O Poder da Motivação
2. Palestra O Poder da Liderança
3. Workshop Motivação e Produtividade

Quer receber as atualizações do site? Insira seu e-mail abaixo:




Cadastre-se no Boletim