19 de agosto de 2009

Vícios de linguagem: a redundância

A tautologia é um dos vícios de linguagem que consiste em dizer ou escrever a mesma coisa, por formas diversas. Meio parecida com pleonasmo ou redundância.

Em nosso dia a dia é comum ouvirmos sem perceber, mas quando aparecem escritas em relatórios empresariais, processos policiais, certidões, cartazes, escrituras e mensagens de e-mail o erro se torna evidente.

Observe a lista abaixo com alguns exemplos. Caso veja alguma que já usou, procure não utilizar mais. Fique atento. Uma das frases mais comuns de redundância é: “elo de ligação”. As pessoas sabem que todo elo é de ligação, mas continuam dizendo. Parecido com “sair para fora” ou “dar ré para trás”. Porém, no dia a dia há outras frases que também são exemplos de redundância mas que passam despercebidas:

  1. A seu critério pessoal;
  2. Acabamento final;
  3. Certeza absoluta;
  4. $Colocar algo em seu respectivo lugar;
  5. Comparecer pessoalmente em algum lugar;
  6. Completamente vazio;
  7. Criação nova ou nova criação;
  8. De sua livre escolha;
  9. Detalhes minuciosos;
  10. Dividir algo em duas metades iguais;
  11. Empréstimo temporário;
  12. Encarar de frente;
  13. Expressamente proibido ou terminantemente proibido;
  14. Gritar bem alto;
  15. Interromper de uma vez;
  16. Juntamente com ou anexar junto;
  17. Multidão de pessoas;
  18. Outra alternativa;
  19. Planejar antecipadamente;
  20. Relações bilaterais entre dois países;
  21. Repetir outra vez / de novo;
  22. Retornar de novo;
  23. Superávit positivo;
  24. Vandalismo criminoso;
  25. Voltar atrás.

Qual destas frases você mais ouve ou lê no dia a dia? Qual a que mais incomoda você? Comente sobre outras frases que você já ouviu ou leu e que não está nesta lista. Participe.
Cadastre-se no Boletim