8 de março de 2012

Homenagem às mulheres

Sabemos que esta história de homenagear as mulheres é algo que muitos e muitas acham piegas ou até mesmo um incentivo à distinção entre os gêneros. Porém, independente destas questões o fato é que as mulheres estão cada vez mais presentes - de forma significativa - no ambiente corporativo e na sociedade em geral.

>>> Já escrevi sobre isso em O Poder do Feminino nas Organizações

Grandes conquistas vem com responsabilidades ainda maiores. Sempre há perdas e ganhos. Mas as mulheres são craques em transformar adversidades e obstáculos em desafios. Vale lembrar que todos somos frutos de mães vitoriosas que enfrentaram diversas situações para nos educar, alimentar, prover carinho e ainda apostar que seremos sempre suas crianças que necessitam de proteção.

Bem, nesta data importante - 8 de março - Dia Internacional da Mulher - ninguém melhor do que nosso poeta Carlos Drummond de Andrade para retransmitir toda minha admiração e respeito às mulheres. Portanto, delicie-se com esta prosa prá lá de verdadeira...


As mulheres são fantásticas


A mãe e o pai estavam assistindo televisão quando a mãe disse:
- Estou cansada e já é tarde, vou me deitar !!!

Foi à cozinha fazer os sanduíches para o lanche do dia seguinte na escola, passou água nas vasilhas das pipocas, tirou a carne do freezer para o jantar do dia seguinte, confirmou se as caixas de cereais estavam vazias, encheu o açucareiro, pôs tigelas e talheres na mesa e preparou a cafeteira do café para estar pronta para ligar no dia seguinte.

Pôs ainda umas roupas na máquina de lavar, passou uma camisa a ferro, pregou um botão que estava caindo. Guardou umas peças de jogos que ficaram em cima da mesa, e pôs o telefone no lugar. Regou as plantas, despejou o lixo, e pendurou uma toalha para secar. Bocejou, espreguiçou-se e foi para o quarto. Parou ainda no escritório e escreveu uma nota para a professora do filho, pôs num envelope junto com o dinheiro para pagamento de uma visita de estudo e apanhou um caderno que estava caído debaixo da cadeira. Assinou um cartão de aniversário para uma amiga, selou o envelope, e fez uma pequena lista para o supermercado, colocou ambos perto da carteira.

Nessa altura, o pai disse lá da sala:
- Pensei que você tinha ido se deitar.
- Estou a caminho - respondeu ela.

Pôs água na tigela do cão e chamou o gato para dentro de casa. Certificou-se de que as portas estavam fechadas. Passou pelo quarto de cada filho, apagou a luz do corredor, pendurou uma camisa, atirou umas meias para o cesto de roupa suja e conversou um bocadinho com o mais velho que ainda estava estudando no quarto. Já no quarto, acertou o despertador, preparou a roupa para o dia seguinte e arrumou os sapatos. Depois lavou o rosto, passou creme, escovou os dentes e acertou uma unha quebrada. A essa altura o pai desligou a televisão e disse:
-Vou me deitar.
E foi. Sem mais nada.
Carlos Drummond de Andrade


Minha sincera homenagem às mulheres!!!

::: Rogerio Martins é Psicólogo, Professor, Palestrante e Escritor. Siga @rogermar no Twitter e venha curtir a página do Facebook.
. . . . .

Cadastre-se no Boletim