25 de junho de 2012

A hora e a vez de você fazer a diferença

Você tem feito a diferença ultimamente? Tem realizado suas atividades com tamanho empenho e dedicação que quando termina tem aquela sensação maravilhosa de dever cumprido? Você tem feito aquele algo a mais?

Caso sua resposta tenha sido positiva: parabéns! Precisamos cada dia mais de pessoas que fazem a diferença em tudo o que fazem. O mundo está necessitado de homens e mulheres que vão além daquilo que é o esperado. A sociedade necessita daquele profissional que faz a diferença e promove as melhorias que tornam nossas vidas mais significativas. As famílias estão carentes de pais, mães e filhos que se empenham em tornar o núcleo familiar mais forte e com valores éticos que promovam o respeito dentro e fora de casa.

O fato é que vivemos um momento de grande falta de pessoas empenhadas em fazer melhor, em fazer mais. Vemos constantemente um bando de zumbis que andam, falam, se alimentam e realizam suas atividades da mesma forma todos os dias. Sem ânimo, sem motivação, sem entusiasmo, sem fazer a diferença. São professores, vendedores, pais, gestores, motoristas, enfermeiros, médicos, estudantes, atendentes, mecânicos e por aí vai... a lista é enorme.

Pense nas pessoas você se relacionou na última semana. Pense nas diversas atividades de sua vida e com quantas pessoas teve contato (família, trabalho, comércio em geral, trânsito, órgãos públicos, restaurantes, hospital, etc.). Agora responda: quantas fizeram alguma diferença para você? Quantas efetivamente marcaram presença na sua memória? Mesmo que tenha sido com simples atos como um sorriso ou um cumprimento sincero (bom dia, boa tarde, obrigado etc)? É possível contabilizar em forma de estatística? Será que foi 10%, 40%, 90%? Cem por cento seria inimaginável, não é mesmo? Teve alguém que fez esta diferença?

Pois é, estamos carentes de pessoas que fazem a diferença com pequenos ou grandes gestos. Para fazer a diferença não é preciso um esforço tão grande como alguns imaginam. Basta levantar todos os dias com o firme propósito de fazer melhor, de fazer mais e realizar. É simples, porém poucos fazem. O único esforço é com você mesmo(a). Não tem que provar nada a ninguém. Basta fazer!

Porém, é preciso ter clareza do que quer melhorar. Pode ser em gestos simples ou em tornar-se o melhor profissional da empresa que atua. Ter o melhor atendimento ao cliente, independente de alguma premiação por isso. Buscar ser um pai, ou mãe, ou filho(a) melhor e mais dedicado as pessoas que realmente são importantes. Você pode fazer a diferença em qualquer área de sua vida! Como Professor Universitário eu busco ser a cada semestre o melhor professor do curso. Faço um esforço cada vez maior para tornar minhas aulas mais interessantes e inesquecíveis com pesquisas, exercícios, bom humor e interatividade. O resultado aparece quando os alunos vem e dizem explicitamente que minhas aulas tem sido o motivo para permanecerem no curso. O importante é que faço isso primeiramente por mim e certamente acabo alcançando os alunos e todos se beneficiam.

Para alcançarmos a excelência pequenos gestos podem fazer a diferença, como por exemplo: ter um cumprimento caloroso, mas sincero; não se deixar abater pelos dissabores da vida, mas aprender com eles e dar a volta por cima com entusiasmo ainda maior; sorrir e manter-se alegre junto das pessoas que convive; ouvir com sinceridade as pessoas, sem interromper; ligar para os amigos com mais frequencia e perguntar como estão e não para contar de você e seus problemas; tratar todas as pessoas, mesmo as que não conhece, com mais carinho e atenção; ser respeitoso(a) com todos, independente da atividade, raça, religião, etc; resolver seus problemas e conflitos com mais rapidez não deixando para depois; ter maior controle emocional e lembrar que a vida é curta demais para guardar rancor...

Bem, agora é com você! Faça a diferença! Estabeleça alguns objetivos (dois ou três no máximo) e pratique. Avalie diariamente seu desempenho e esteja certo que podemos sempre melhorar. Agora o mais importante: tudo isso deve ser prazeroso. Fazer a diferença deve ser algo tão agradável que você sentirá cada vez mais prazer em fazer. É assim que tem que ser!

Rogerio Martins é Psicólogo, Palestrante e Professor que faz a diferença
www.facebook.com/palestranterogeriomartins
Cadastre-se no Boletim