25 de julho de 2016

Como me tornei palestrante

Alguns dias atrás conversava com um amigo da época de escola, que não via há doze anos, e em determinado momento ele soltou a seguinte pergunta: "Rogerio, como você se tornou palestrante?".
Na hora a resposta foi simples e direta: isso foi um processo natural, pois iniciei minha carreira na área de Recursos Humanos e atuei muito ministrando e contratando treinamentos para os funcionários das empresas em que trabalhei. Daí para atuar como palestrante foi um pulo.
Porém, chegando em casa pensei mais sobre aquela inocente pergunta e na superficialidade de minha resposta. Não foi assim tão simples. Todo o processo para me tornar um dos palestrantes mais requisitados na área de liderança egestão de pessoas foi longo e cheio de detalhes que contribuíram para meu posicionamento atual.
Como tudo começou
Na verdade, acredito que tudo começou quando era criança. Sempre tive uma vocação para a área de educação. As brincadeiras que mais gostava estavam relacionadas ao ensino. Invariavelmente eu era o professor. Mais tarde, já na adolescência, fui praticar Karatê – arte marcial japonesa que me ajudou muito no controle emocional e físico. Cheguei à faixa preta e novamente meu “instinto” de professor apareceu. Comecei a auxiliar meu professor na turma que treinava e, posteriormente, ensinar tudo o que havia aprendido como praticante a meus próprios alunos, crianças entre seis e dezesseis anos, de uma escola na cidade de Santos/SP. Sem dúvida este foi um dos períodos mais gratificantes de minha vida. Ensinei e aprendi muito.
Formação acadêmica e experiência profissional
Mais tarde quando iniciei minha formação acadêmica a escolha do curso foi determinante para que eu caminhasse para trabalhar na área de recursos humanos. Fiz minha graduação em Psicologia e Pós-Graduação em Recursos Humanos. Trabalhei em empresas que me possibilitaram entrar em sala de aula de conduzir programas de treinamento na área comportamental. Acompanhei diversos palestrantes e consultores contratados por estas empresas, o que serviu de grandes mentores para minha atividade futura.
Por mais de dez anos tive o privilégio de organizar e atuar na área de treinamento de empresas como Danone, Petybon, Tec Toy Brinquedos, Tyco Electronics e Eletropaulo. Esta experiência acabou me levando a criar minha própria empresa de consultoria na área de recursos humanos, a Persona Consultoria e Eventos, com foco em treinamento e desenvolvimento de pessoas, é claro. A partir do final do ano 2.000 comecei a me dedicar exclusivamente à ela.
No início, devido à minha formação acadêmica e experiência profissional, desenvolvi e apliquei diversos treinamentos para empresas de diversos segmentos e tamanhos. Com as mudanças no mercado, valorizando cada vez mais atividades de curto prazo e grande impacto, comecei a migrar minha atuação para o segmento de palestras motivacionais e comportamentais.
Transformar todo o conteúdo e experiência acumulados ao longo dos últimos 15 anos, em apresentações mais enxutas e que proporcionassem grande impacto motivacional e ainda reflexão, foi um grande desafio que abracei com muito empenho. Não foi fácil no início, mas com estudos sobre técnicas específicas de apresentação em formato de palestra, além de observar profissionais mais experientes, fui desenvolvendo minha própria metodologia.
Palestras Interativas
Daí criei o que chamo hoje de palestras interativas, onde mesclo conteúdo prático, interatividade e bom humor, mas sem expor ninguém ou criar situações constrangedoras, como já presenciei em diversas apresentações de outros profissionais. Através deste modelo de palestra tenho conseguido índice de aprovação bastante significativo, visto que é fundamental o aperfeiçoamento contínuo e somente com o feedback de quem participa é que se torna possível o aprimoramento pessoal e profissional.
Portanto, quando hoje olho para trás, vejo que me tornei palestrante muito antes mesmo de atuar como tal. Tenho muito orgulho de tudo isso. A vocação aliada a muito preparo técnico, experiência/experimentação e amar de verdade o que se faz é que gera o grande diferencial num mercado altamente competitivo. E sou definitivamente apaixonado pelo o que faço, por isso faço sempre meu melhor. A cada apresentação cuido de cada detalhe para que ela seja a melhor de todas.
Foca no importante
Então, chego à conclusão que em nossas vidas há tantas indicações do que podemos fazer de forma excelente, que é preciso atenção e foco no que é importante. Você faz aquilo que gosta? É realizado em sua atividade? Tem prazer para fazer sempre seu melhor? Observe sua trajetória de vida e encontre sua verdadeira paixão. Aposte nela! Crie condições para se tornar o melhor profissional e certamente o mercado e as pessoas irão reconhecer. Sucesso!

Rogerio Martins
Palestrante, Professor Universitário e Escritor. Atua no segmento de palestras como profissional independente desde o ano 2.000 e já se apresentou para mais de 500 mil pessoas em todo o Brasil. Autor do livro "Reflexões do Mundo Corporativo" e do DVD "Líder de Alta Performance". Saiba mais em www.rogeriomartins.com.br e www.youtube.com/palestranterogeriomartins 
Cadastre-se no Boletim