4 de abril de 2011

Palestrante bom ou palestrante bomba?

Palestras de Liderança e Motivação
Você já participou de um evento onde o palestrante simplesmente encantou a platéia com conteúdo interessante e atual, além de uma apresentação descontraída e envolvente? Não é fácil! Principalmente em um mercado que a cada dia recebe novos profissionais de diversas áreas (já comentei sobre isso em outro artigo).

O mercado de palestras e treinamentos corporativos vem crescendo com a necessidade de melhorar a produtividade, motivação, relacionamento comercial e vendas, qualidade das relações humanas, entre outros fatores. Quando eu trabalhei na Danone, lá no início dos anos 90, a demanda e oferta destes profissionais era bem restrita. Havia pouco acesso aos "gurus" internacionais e poucos brazucas de renome. A partir do início deste século este mercado cresceu e muito.

Leia mais sobre este tema em:

Palestrante bom ou palestrante bomba?

Este crescimento desordenado traz bons profissionais, com experiência comprovada e competência para realizar uma apresentação adequada ao público e necessidade do evento. Porém, também traz os profissionais que chamo de "bombas". Aqueles que aparecem e destroem o evento e a atividade. Já vi vários. Pessoas oportunistas como em qualquer outro ramo.

Criam fama imediata nos moldes de programas como Big Brother Brasil. Aparecem e desaparecem rapidamente. O problema não está na fama repentina, mas no estrago que fazem na imagem para os profissionais sérios que atuam neste ramo. Todos são afetados. Isso acontece também nos chamados livros de auto-ajuda. Surgiram tantos oportunistas que este mercado e alguns autores se tornaram motivo de piada, infelizmente.

É preciso saber separar o bom do bomba. Tanto no mercado de profissionais de palestras, quando nos autores de auto-ajuda. Pessoas que surgem oferecendo receitas milagrosas devem ser observadas com maior atenção, sem julgamento precipitado. Não vejo nada contra o oferecimento de dicas e receitas para o bem viver, mas desde que tragam algum fundamento. Estamos cheios de informações superficiais e é fundamental o aprofundamento para maior garantia de resultados.


Quem indica quem?
Você já percebeu que bons profissionais sempre indicam outros em quem confiam? Seja um médico, dentista, engenheiro, advogado ou qualquer outro profissional. Esta confiança vem da credibilidade transmitida pelo tempo, relacionamento e experiências. Afinal, você indicaria alguém que não conhece ou sabe do trabalho realizado para outas pessoas? Você coloca sua "mão no fogo" por algum profissional que nunca viu atuar? Você indica algum restaurante que nunca esteve e não sabe a qualidade do serviço e produtos a um amigo? Eu e milhares de pessoas não!

Na linha dos bons novos palestrantes destaco uma profissional competente - palestrante e consultora na área de atendimento a clientes - chamada Débora Martins (não temos nenhum parentesco, apesar do mesmo sobrenome). Já assisti diversas apresentações onde consegue mesclar conteúdo interessante e uma atuação envolvente. Outra profissional que também destaco como profissional da mais alta qualidade é a consultora Érika Knoblauch, da Convergência RH, além de Lú Baldez, da Alvo DTC. Poderia estender esta lista, pois há muitos profissionais que eu indico pela qualidade do trabalho que realizam, mas este artigo iria parecer mais um catálogo de palestrantes e consultores do que uma reflexão sobre o tema.

São tantos novos bons profissionais, mas alguns sem o conhecimento do público que, em alguns casos, opta por palestrantes conhecidos ou que estão na moda. Nem sempre um profissional famoso é o mais indicado para determinado evento. Já ouvi e presenciei casos de eventos que foram um fiasco porque o palestrante não soube atingir o público. É preciso cuidado ao contratar uma "marca" famosa ou um profissional "mais em conta".

Como selecionar o melhor palestrante?

O segredo está em conhecer o currículo do palestrante, as empresas onde já se apresentou, solicitar informações aos clientes sobre sua atuação, conversar pessoalmente ou por telefone, acompanhar o que ele publica na internet e em outras mídias e, se possível, assistir uma apresentação ou vídeo. Buscar referências ainda é o melhor caminho. Há empresas especializadas em "agenciar" palestrantes. Elas também servem como uma referência de mercado, pois conhecem o trabalho de cada profissional. Uma das mais consistentes empresas deste segmento é a Palestrarte. Neste tipo de empresa você pode conhecer diversos profissionais e qual o mais adequado para seu evento. 

Outra dica interessante para obter referências sobre palestrantes e profissionais de treinamento é o Portal Wec e o RHPortal. Visite outros sites onde é possível ler artigos e saber um pouco mais sobre este mercado. Há sites e portais que são referência, como: Administradores, O Gerente e RH.COM.BR.
Para distinguir um palestrante bom de um palestrante bomba é ao mesmo tempo simples e complicado. Analisando de forma simplista podemos acreditar que todo profissional "famoso" ou que cobra mais caro é bom. Ledo engano em qualquer atividade. O bom profissional é aquele que atende a necessidade específica do seu evento, seja "famoso" ou não, mais caro ou não. Por isso, redobre a atenção para não ser surpreendido por um palestrante bomba em seu próximo evento.

Participe deste site comentando alguma situação positiva ou negativa que passou sobre a contratação de palestrantes. Conte sua experiência, sem precisar divulgar o nome do profissional, caso ela tenha sido negativa, afinal não queremos expor ninguém, apenas relatar situações e fatos.


Rogerio Martins é Psicólogo, Palestrante,
Escritor e Professor Universitário. Atua há mais de 10 anos no mercado de palestras, sempre aprimorando suas apresentações e conteúdo para promover palestras de alto impacto pessoal e profissional.

Conheça um pouco mais do meu trabalho como palestrante e instrutor de treinamentos
3. Workshop Motivação e Produtividade

Quer receber as atualizações do site? Insira seu e-mail abaixo:




Cadastre-se no Boletim