16 de maio de 2011

O poder das amizades

O que vale mais hoje em dia: seguidores ou amigos reais? Esta é uma provocação em função da crescente demanda por mais e mais seguidores no Twitter e amigos virtuais nas diversas mídias sociais.

Será que estamos migrando nossas relações reais para as virtuais? Será que em breve não conheceremos mais as pessoas olhando nos olhos, mas via webcam? Talvez, mas o futuro é algo que construímos hoje.

A forma como agimos no presente é que determina como estarão nossas amizades no futuro. Quanto mais alimentamos as "amizades virtuais", menos temos tempo para o mundo real. Acha que estou exagerando? Observe a sua volta. Atualmente você faz mais "amizades virtuais" ou reais?

Você é daquelas pessoas que prefere ficar em casa para conversar com pessoas via internet do que ir em uma festa, cinema ou balada? Não há problema algum em conhecer e se relacionar com pessoas no mundo virtual. Porém, quando se abre mão das relações concretas, aquelas vividas através do olho no olho e não do monitor, a tendência é de distanciamento da realidade.

Os avanços da tecnologia são inúmeros (sabemos disso). Porém, ainda não há substituto para o contato humano presencial. Você prefere ser atendido por uma voz gravada ao telefone ou por um atendente? Quando tem um problema no banco ou qualquer outro local público é melhor ver e ouvir uma pessoa ou uma máquina?

Pois é... se você é das gerações onde não havia computador na infância e adolescência certamente fez mais amigos reais. O perígo é que isto não representa muito se estas amizades acabam sendo esquecidas. Portanto, serve para todos a importância de manter as amizades reais.

Amigos não se conservam sem um telefonema ou uma visita. Amigos precisam de atenção. Querem saber de você, tanto quanto você deve querer saber deles. Tem que ser uma relação de troca. Quando um procura mais do que o outro a tendência é esfriamento. É da essência do ser humano gostar de ser reconhecido e valorizado.

Portanto, alimente suas amizades virtuais, mas lembre-se de agir no presencial também. Nada adiante ter mais de mil seguidores e poucos amigos de verdade. Nos momentos mais importantes de sua vida serão os verdadeiros amigos que estarão presentes para dar apoio e não os seguidores que muitas vezes nem o conhecem.

Grande abraço,

Rogerio Martins
(uma pessoa que insiste em cultivar amigos reais)
. . . . . .
Cadastre-se no Boletim