4 de julho de 2011

As emoções no ambiente de trabalho

Palestrante Rogerio Martins

Será que o ambiente de trabalho é apropriado para demonstrarmos determinadas emoções? 

É adequado, por exemplo, exibir compaixão ou tristeza? E quanto a medo e frustração? É possível escondermos estas emoções e só expressar em casa ou com pessoas que confiamos?

Ainda hoje existem pessoas que acreditam naquela famosa idéia de que se pode ser uma pessoa na empresa e outra fora dela. Dizem que não carregam seus problemas de casa para o trabalho e vice versa. Que conseguem ser pessoas diferentes em cada ambiente. Você é assim ou acredita nisso?

Se isso for verdade temos um grande problema de esquizofrenia. Pessoa com múltiplas personalidades. Em casa é de um jeito e no trabalho de outro. Sente certas emoções somente em um determinado local. Impossível. Uma pessoa sadia não age desta forma, só os doentes emocionais. Mas antes que você pense que o louco sou eu, esclareço algo importante: controle emocional é uma coisa e negação de sentimentos é outra.

Uma pessoa saudável passa pelas diversas emoções no ambiente profissional: tristeza, alegria, medo, compaixão, frustração, inveja, ansiedade, etc. A diferença está em saber lidar com elas e não em negá-las. Aquele que reprime determinadas emoções ou não sabe lidar de forma adequada com elas, acaba criando comportamentos desajustados como, por exemplo, autoritarismo ou submissão.

Os sentimentos fazem parte de nossa nossa personalidade, de nossa vida. Não há como extinguir aqueles que menos gostamos ou optar por sentir somente alguns mais "bacanas". Somos um turbilhão de sentimentos que podem ser mais ou menos controlados a medida que os reconhecemos e entendemos como eles nos fazem agir.

O primeiro passo para administrar estas emoções é saber um pouco mais a respeito. Segundo estudos de psicólogos e profissionais que lidam com o comportamento humano, há cinco emoções básicas, a saber: alegria, tristeza, medo, raiva e amor. Como elas estão presentes em sua vida?

Vou tratar de cada uma delas em outros artigos, mas fica a dica para pensar a respeito sobre como elas se apresentam no seu ambiente profissional. Há alguma mais forte do que as outras? Quando aparecem? O que você faz a respeito?

Bem, voltando a questão de saber separar o pessoal do profissional, tenho a acrescentar que em todos os ambientes passamos por estas cinco emoções. De fato é necessário saber administrá-las para obter melhores resultados em todos os aspectos de sua vida. Mas não adianta querer esconder ou negar qualquer uma delas.

Imagine um pai que está passando pela tristeza de saber que seu filho está envolvido com drogas. Por mais que tente não levar o problema pessoal para o ambiente de trabalho é impossível não sentir raiva, medo ou tristeza. As emoções são inerentes a todas as pessoas, mas seu controle é algo totalmente possível desde que saiba como elas aparecem e usar técnicas para gerenciá-las.

::: Rogerio Martins é Psicólogo, Professor, Palestrante e Escritor. Siga @rogermar no Twitter e venha curtir a página do Facebook.


Gostou deste artigo? Leia também:
Discutir ou ofender
- Poder, valor e imagem pessoal
- As competências fundamentais do marketing pessoal

Cadastre-se no Boletim